Foto: Rádiowebufpa

A inserção da Educação Ambiental vem como um meio norteador para o caminho de equilíbrio homem e meio ambiente. Hoje, o papel da escola, é proporcionar a formação intelectual do aluno e a ensiná-los a viver com as questões atuais da sociedade. Com isso, precisamos de uma conscientização ambiental para todos os níveis de ensino, tornando-os cidadãos conscientes da realidade.

É possível perceber que a contextualização da educação ambiental é uma proposta inovadora, que reconhece a importância do cotidiano do aluno e da sua comunidade, os temas discutidos de forma concreta, permite que cada aluno conheça sua realidade social e ambiental, o que possibilita construir novos conhecimentos.

Essa é uma função indispensável a escola, garantir aprendizagem de conhecimentos, habilidades e valores para o ser humano viver em sociedade, por isso é necessário ultrapassar a ideia de que a função da escola é simplesmente a transmissão de conteúdos. Desse modo, é importante promover e incentivar atividades na escola que apresente problemas ambientais locais e com a participação de todos os alunos, haja de fato soluções para esses problemas.

Nesse sentido, o papel do professor é essencial para impulsionar as transformações de uma educação que assume um compromisso com o desenvolvimento sustentável. Dependendo de como a temática Educação Ambiental for trabalhada, poderá reavivar o debate entre alunos, a comunidade escolar, a escola e bairro e ainda entre a Administração Pública. Com esse envolvimento e comprometimento de todos, mesmo as pequenas ações terão consequências imediatas e para gerações futuras.

A Educação Ambiental, nas suas diversas possibilidades, abre um estimulante espaço na tarefa de discutir as questões ambientais. É um caminho possível para mudar atitudes, permitindo ao aluno construir uma nova forma de compreender a realidade na qual vive, estimulando a consciência ambiental e a cidadania, ou seja, a Educação Ambiental é aquela que permite o aluno trilhar um caminho que o leve a um mundo mais justo, mais solidário, mais ético, enfim, mais sustentável (GUEDES, 2006).

Referência

GUEDES, José Carlos de Souza. Educação ambiental nas escolas de ensino fundamental: estudo de caso. Garanhuns: Ed. do autor, 2006.

Por: Bióloga Gervânia Ribeiro

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

treze + vinte =