A Câmara Municipal de Senhor do Bonfim vai realizar na próxima terça-feira, dia 19, uma Audiência Pública para discutir os impactos ao meio ambiente, causados pelo lixão e mineradora da Barroca do Faleiro.

Nos dias que antecedem a referida audiência, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) da Diocese de Senhor do Bonfim, está divulgando uma nota sobre o caso.

Confira:

A REGIÃO DA GROTA É O PULMÃO DE BONFIM, TODOS/AS NÓS SEREMOS ATINGIDOS. DIZEMOS NÃO PARA AS MINERADORAS!

Descubra os inúmeros problemas que uma mineração trará para o nosso município. 

A Serra do Gado Bravo, extensão da Chapada Diamantina, que fica na Cordilheira do Espinhaço, município de Senhor do Bonfim, região denominada de “Grota”, tem a mata verde durante todo o ano, com diferentes tipos de vegetação, da Mata Atlântica à caatinga, sendo um observatório perfeito para quem pretende contemplar ou estudar os aspectos da cobertura vegetal do Nordeste brasileiro.

Na região existem várias nascentes. É a nossa caixa d’água, protegida pela Lei Orgânica Municipal, Art. 223 § 3º e pela Emenda Aditiva ao Projeto de Lei de N° 019/2013. Todo este manancial está sendo ameaçado pelas empresas de mineração que estão fazendo pesquisa. Uma ameaça para a natureza, famílias que residem nas comunidades e para a cidade que é abastecida de frutas agroecológicas vindas deste território.

POR QUE NÃO QUEREMOS UMA MINERAÇÃO EM SENHOR DO BONFIM?

  1. Gera graves problemas ambientais (desmatamento, destruição das nascentes, contaminação dos solos e do ar por elementos tóxicos);
  2. Consumo exorbitante de água e energia;
  3. Gera morte e sérios danos à saúde, devido a poeira e produtos químicos utilizados na extração de minérios;
  4. Vai expulsar as pessoas de suas casas e de seus territórios;
  5. Não gera emprego, pois o funcionamento da usina depende quase exclusivamente de máquinas;
  6. Qualquer lucro gerado pelo funcionamento da mineradora vai para as empresas, nada fica para o povo;
  7. Ameaça de rompimento da barragem de rejeito;
  8. Concentração fundiária;
  9. Evasão forçada de animais silvestres previamente existentes na área de extração mineral;
  10. Poluição sonora (detones), rachaduras das casas;
  11. Contaminação de águas superficiais (doce e salgada) pelo vazamento direto dos minerais extraídos ou seus componentes;

Diga NÃO a instalação da mineração na Serra do Gado Bravo, pulmão de Bonfim. Junte-se a nós! Vamos proteger a nossa GROTA. Participe da Audiência Pública no dia 19 de março, às 19h, na Câmara do Municipal de Bonfim.

Protegendo a nossa serra
Todos/as nós seremos atingidos
Dizemos não para as mineradoras!

Comissão Pastoral da Terra”

 

Fonte: Blog do Eloilton Cajhuy 

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui