Os professores das universidades estaduais da Bahia (Uneb, Uefs, Uesc e Uesb) desocuparam a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) em Salvador (BA) às 5h desta quinta-feira (06), depois de uma exigência da Polícia Militar. Desde a terça-feira (04), eles tentavam protocolar uma solicitação na Secretaria de Educação do Estado (SEC) para negociar as contrapropostas com o Governo, mas uma tropa de choque da polícia bloqueou a entrada.

O movimento montou um acampamento em frente à SEC, mas por conta da chuva, parte dos professores ficou acampada dentro da SECTI durante esta quarta-feira (05). Após quase cinco horas de negociação com a PM, os profissionais de educação deixaram o local.

“Tentamos conversar com o capitão para liberar a passagem dos nossos colegas, isso não foi feito. O coronel chegou às 19h30 e quando foi à meia noite é que nós conseguimos concluir essa negociação. Nos ameaçaram de evacuar com violência, com processos. (…). Saímos da SECTI debaixo de muita chuva, fomos colocados para fora”, afirmou a representante do movimento e docente da UNEB, Nora de Cássia Gomes de Oliveira ao blog Notícias iMais.

 

Ainda de acordo com os grevistas, uma reunião vai acontecer a partir das 12h desta quinta-feira para decidir os próximos passos. A discussão deverá contar com a participação Secretaria de Relações Institucionais (SERIN).

Em um dos vídeos gravados, professores relataram que foram impedidos de usar o banheiro.

Em outra gravação, um docente lamentou a ausência de reitores das quatro universidades estaduais e da classe política para mediar o fim da greve.

A greve das universidades estaduais da Bahia duram quase dois meses.

A reportagem do Notícias iMais não conseguiu ainda manter com representantes da PM e nem com o Governo do Estado sobre o impasse.

Fotos e vídeos: redes sociais dos docentes

Por: Leandro Daniel/Notícias iMais

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui