Foto: Macário

O blog Notícias iMais voltou esta semana a gravar a série de entrevistas com os nomes mais cotados de Campo Formoso (BA) para disputar as eleições municipais de outubro. Depois de ouvir o ex-prefeito José Santana, a equipe conversou com vereador e pré-candidato Vasconde Gomes, o Vê, do PC do B.

Na entrevista, o parlamentar falou das conquistas durante os três mandatos, fez análise da atual gestão municipal, avaliou o Governo Federal e comentou sobre seu futuro político. O parlamentar também destacou a decepção sofrida durante a eleição da mesa-diretora da Câmara Municipal em dezembro de 2018.

“Na verdade, ficou foi um trauma. (…) O que aconteceu comigo foi um absurdo porque cheguei a ter onze votos, seis votos da base da situação e cinco votos na oposição. E todo processo foi transparente, como é a minha vida (…). Conservei com o meu líder e sentei com o líder do outro grupo, não teve nada às escondidas. Foi uma coisa que marcou pela forma que aconteceu, não pela derrota em si”, afirmou o parlamentar.

O vereador detalhou também que minutos antes da votação na Câmara contava com oito votos a seu favor, porém alguém do grupo optou por traí-lo e somente sete o apoiaram. Ele não revelou nomes, mas disse que queria que o suposto (a) traidor (a) justificasse a mudança de decisão repentina.

“Porque esta pessoa que cometeu o ato não chegou para mim e disse: ‘olha, infelizmente, por motivo tal, eu não vou poder votar em você’ ? Não tinha problema nenhum. (…) O que doeu foi a traição”, comentou Vasconde, derrotado para a chapa encabeçada pelo atual presidente José Carvalho (PSD).

O vereador Vê afirmou também que o parlamento municipal precisa passar por profundas transformações nas eleições deste ano. “Eu espero que haja renovação e muita renovação, porque com essas atitudes e comportamento de colegas, não estou querendo criticar ninguém e não sou melhor do que ninguém. E isso vai refletir no próximo pleito”, disse.

O edil também apontou como dificuldade para composição do quadro de vereadores o custo de uma campanha eleitoral. “Não basta a gente querer que se renove, se não surge ninguém para competir. E estou vendo dificuldades de ambos os lados, porque as pessoas não querem encarar e sabem que a disputa em Campo Formoso é muito aguerrida e pela sua grande dimensão de área territorial uma campanha se torna muito cara uma campanha”, disse Vê.

O politico disse também que é a favor do fim de reeleição para o cargo de vereador. “A gente não pode se perpetuar no poder, tem que alternar. Defendo que até o próprio mandato de vereador deveria ser limitado (…), no máximo oito anos, como é de senador, sem direito a reeleição”, disparou.

Em breve, o Notícias iMais vai destacar outros detalhes da entrevista.

Por: Leandro Daniel/Macário/Sérgio Sátiro/Notícias iMais

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

3 × quatro =