As pesquisas arqueológicas feitas no Território do Piemonte Norte do Itapicuru passaram a ter maior visibilidade após o Campus VII da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), situado em Senhor do Bonfim (BA), inaugurar o laboratório de arqueologia e paleontologia na terça-feira (10).

Com 215 metros quadrados, o laboratório vai alojar material arqueológico do próprio Departamento de Educação e outros 46 mil achados doados pela companhia EDF Renewables, responsável por construir parques eólicos na Bahia.

Em uma matéria veiculada na rádio 98 FM, a coordenadora do laboratório, arqueóloga Cristina Cerqueira, afirmou que além de servir para realizar estudos, o espaço será útil para visitação.

“Ganha com isso a universidade, ganha com isso a comunidade, porque a gente passou a ter um espaço completamente adequado para o desenvolvimento das pesquisas e guarda do acervo arqueológico, e também o outro espaço antigo a gente passa usar para exposições”, afirmou a coordenadora.

Segundo o Núcleo de Assessoria de Comunicação do Campus VII da UNEB, as peças doadas foram encontradas pelos profissionais da EDF nos municípios Mulungu do Morro (BA) e Cafarnaum (BA).

Além dos achados, a EDF também destinou R$ 240 MIL para infraestrutura do laboratório da UNEB. De acordo com o representante da companhia, Paulo Abranches, a parceria teve início desde o ano de 2015, e agora gera novos impactos para sociedade.

“A gente fica muito feliz por ter contribuído para essa construção que vai permitir conservar e divulgar para a comunidade o material que a tente encontrou em nossos parques”, afirmou.

Participaram da cerimônia estudantes e servidores da UNEB, o reitor José Bites e representantes de instituições da microrregião da região de Senhor do Bonfim.

Não resta dúvidas a contribuição para os estudos da arqueologia de toda região. Inclusive temos um patrimônio aqui arqueológico que é de Campo Formoso, mas que o IPHAN autorizou estão sendo guardados e estudos aqui. Portanto, a inauguração do laboratório vai permitir a consolidação desta pesquisa, mas não é só a pesquisa pela pesquisa, e sim conhecimento”, comentou o reitor Bites à reportagem da 98 FM.

Fotos: Leandro Daniel

Por: Leandro Daniel/Notícias iMais

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

8 + 4 =