Foto: Nando Coimbra

O ex-jogador do Fluminense do Rio de Janeiro (RJ) e do time do Ceará (CE), Fernando Antunes Coimbra, o popular Nando Coimbra, irmão do artilheiro Zico do Flamengo (RJ), pintou um quadro para homenagear as crianças apaixonadas por futebol que residem na região de Brejão da Caatinga, situada na zona rural do município de Campo Formoso, ao norte da Bahia.

Intitulada de No junco de Brejão da Caatinga, a Peladinha dos Pequeninos, a pintura foi finalizada no domingo (05), e já recebeu elogios de amigos de Nando que vivem no exterior.

De acordo com o ex-profissional do futebol, que também é fotógrafo e artista plástico, a inspiração surgiu após ele visitar o povoado de Junco do Brejão da Caatinga a 67 quilômentros da cidade de Campo Formoso (BA), em setembro do ano passado. Na época, Nando e o ex-jogador Rondineli do Flamengo (RJ) palestraram para crianças e adolescentes do projeto Meu Nome É Superação, idealizado pela jornalista Jil Muricy, que é natural dessa localidade.

“Deparamos com um povo cheio de vida (…). Com um povo espetacular. Fizemos uma palestra com enorme prazer e eu prometi que faria um quadro sobre Brejão da Caatinga. (…) Deu muito trabalho, mas valeu a pena. E eu posso informar a vocês que pessoas  de muitos lugares, tanto do Brasil, quanto do exterior, têm elogiado o quadro”, afirmou Nando Coimbra.

Segundo a jornalista Jil, a pintura de Nando Antunes vai fortalecer a autoestima das crianças que integram o projeto social. “Esta obra de arte do Nando representa para nós uma delicadeza muito grande.  Foi a primeira vez que ele esteve em nossa região. (…). Que isso possa encher cada vez mais as crianças de entusiasmo na realização dos próprios sonhos”, comentou.

Este assunto também foi veiculado no jornalismo da rádio 98.1 FM da cidade  Campo Formoso (BA) durante esta semana.

A obra ganhou um retoque com um poema escrito pela professora Taís Loreiro, amiga de Nando.

Confira:

Bateu saudade da caatinga

Aquela Brasileira

Brasileirinha

Com cores e dores que

Resistindo e reinventando-se

Sobrevive

Nos brejos de altitude

Longínquas terras

Terracota

Vermelho

Cor-de abóbora

Céu azul

Chão de estrelas

Morros verdes e altos

Ruas com vai e vem

Movimento constante

Olhos inquietos

Procurando prosa

E pelota

Crianças correm atrás da esperança

Na pelada depois da escola

Joga bola

Olha a viola

Pega uma sombra debaixo da árvore

Fica gabola

Tão brasileiro

Interior da Velha Bahia

Tão negro, tão índio

Vai e se descontrai

Nas pinceladas do pintor

Se formando a vista do encanto

Longe da cidade do Salvador

No Junco do Brejao da Caatinga, a peladinha dos pequenininhos.

 

Por: Leandro Daniel/Notícias iMais

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

quatro × 3 =