Foto: Live Notícias iMais

O pró-reitor de Ensino da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), drº em Educação, professor Manoel Messias Alves de Souza, afirmou em uma live do blog Notícias iMais na sexta-feira (04), que é inviável a construção de um campi da instituição no município de Campo Formoso (BA), neste momento, devido à falta de recursos para o custeio, além de um decreto que proíbe concurso para professores.

A UNIVASF vir pra cá, neste atual cenário, eu acho muito difícil. Primeiro que é fato que estamos no meio de uma crise sem tamanho de cunho macroeconômico. (…) Eu acho que a gente precisaria de uma discussão muito grande em Brasília. (…) Hoje, qualquer deputado, qualquer grupo pode mobilizar 5 a 10 milhões (de reais) e criar um campus aqui em Campo Formoso, o problema é o custeio, vagas para professores. Agora, há um decreto que proibiu concurso para professores, é muito complicado”, comentou.

O pró-reitor, que é natural de Campo Formoso (BA), também destacou a importância da obra do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), no município. “O Instituto Federal oferta ensino superior da mesma forma de qualquer universidade federal. Eu não tenho dúvida que o Instituto Federal será um ‘divisor de águas’ para o desenvolvimento”, comentou.

Ainda segundo o gestor da UNIVASF, o polo da instituição que funciona atualmente nas proximidades do Estádio José Telesphoro em Campo Formoso, deverá ser reativado no antigo mercado municipal. “A Câmara de Vereadores aprovou um projeto e foi doado aquele mercado municipal para UNIVASF. E isso eu vou correr atrás, porque se o mercado foi doado para a UNIVASF, o patrimônio é da instituição. E se o patrimônio for da instituição, é muito mais fácil correr atrás e tentar trazer um curso ou alguma atividade”, declarou o professor Manoel.

O pró-reitor disse também que o corte de bolsas e problemas de infraestrutura em polos dificultaram a abertura de editais de cursos de graduação, inclusive para Campo Formoso.

“Os polos que tiveram qualquer tipo de problema operacional, e como houve um corte de bolsas muito grande, as universidades escolhem aqueles polos que têm estrutura realmente, que possibilitam o aluno chegar em qualquer horário e fazer atividade, tem internet de qualidade, tem um funcionário para estar atendendo, fazer feedback, aí Campo Formoso ficou de fora, acredito por conta de algum equívoco neste sentido”, citou o pró-reitor Manoel Messias.

Outro assunto tratado foi a discussão da UNIVASF para aderir à política de bônus para estudantes da região. “Defendo um bônus de 10% pra quem estudou nos três anos do ensino médio dos municípios onde a gente vai delimitar a área”, mencionou.

A UNIVASF pretende retomar as aulas de forma remota a partir do próximo dia 14.

Por: Leandro Daniel/Notícias iMais

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

16 − 1 =