Foto: arquivo pessoal do historiador José Carlos Martins

Dando continuidade à prestarmos homenagem a pessoas de nossa comunidade, que eram católicas e devotas de Santo Antônio, este ano de 2021, iremos memorar o cidadão, Sr. ANTÔNIO RIBEIRO LIMITE; o mesmo nasceu na rua Padre Bevenuto, (Rua dos Correios) Município de Campo Formoso Ba, em 12 de junho de 1911. Eram seus Pais, Francisco Ribeiro da Paixão e Maria do Carmo Pinto. Posteriormente sua família mudou-se para imóvel localizado na antiga rua Rui Barbosa, hoje rua Hipólito Ribeiro, imóvel que até hoje reside sua única irmã viva Alzira Maria Limite de 102 anos de idade, (eram 12 irmãos).

Em 1942, Sr. Antônio Limite, casou-se com a Senhora Mariana Ribeiro Pinto, filha do seu Tio Feliciano Pinto, portanto era sua prima carnal.  Depois de casado foi residir com a esposa no Sitio denominado Carro Quebrado, região de Canavieira há 5 km da sede.  Da união nasceram os seguintes filhos: Doralice Ribeiro Pinto, Odelita Ribeiro Pinto, Maria Claudia Ribeiro Pinto, (in memoriam), Alzira Ribeiro Pinto, Maria da Conceição Ribeiro Pinto, Maria Madalena Ribeiro Pinto, Francisco Ribeiro Pinto, Vanilde Maria Pinto Ribeiro, (in memoriam), Doraci Maria Pinto Ribeiro e Marcos Antônio Pinto Ribeiro.  Deixou, 06 netos e 02 bisnetos.  Dona Mariana Ribeiro Pinto, faleceu em 10 de setembro de 2003 com 80 anos de idade.

Foto: arquivo pessoal do historiador José Carlos Martins

Antônio Limite, quando jovem, durante muitos anos juntamente com seus Tios, que residiam no Povoado de Várzea Grande, (70 km.)  negociava trazendo em cargas de animais, rapaduras, queijos, requeijões, carne seca de bode fornecidas pela grande criadora a velha Teodora, peles de animais, mamona, melancias e outros que eram entregues nos depósitos da firma Silva Regis. Quando retornavam para Várzea Grande, levavam arroz vermelho produzido em quantidade na Vanvana, Brejo do Tamanduá e Boa Esperança, transportavam principalmente farinha de mandioca, pois na época não era produzida nas zonas de clima quente. Em conversas passadas com Sr. Antônio Limite ouvir relatos das dificuldades encontradas nestas idas e vindas. Certo dia de um ano qualquer na década de 30, ele e seus Tios, Titonho, Bertulino Pinto e Manoel Serafim, no percurso já próximo da Fazenda Panelas se depararam com duas enormes onças pintadas, que por instantes ficaram próximas, paradas e rosnado, os cachorros que vinham com eles fugiram ganindo caatinga adentro. Aos poucos as feras foram se afastando. Em outra oportunidade estavam se aproximando da Fazenda Caititu, quando foram informados por um vaqueiro que Lampião acompanhado de alguns cangaceiros estava vindo da Tiquara na direção do lugarejo, Olho D’água das Pombas; não tiveram alternativa deixaram o caminho principal e internaram-se em caatinga densa e fechada; não demorou o céu escureceu, relâmpagos serpenteavam, trovões ribombaram e forte chuva de trovoada caiu, deixando enormes lagoas naqueles ermos de terras planas. Já com cargas parcialmente perdidas, romperam as vegetações espinhentas e infestadas de cascavéis; depois de horas desnorteados chegaram molhados, com roupas rasgadas e arranhados no Povoado de Caraíbas, como já era noite, dormiram na casa de um conhecido de apelido Lalai.

 Antônio Limite mesmo residindo na Canavieira, não perdia as missas dominicais. No período das trezenas de Santo Antônio, (01 a 13 de junho) santo de sua devoção, sempre era presença frequente.

Por ter vivido mais de um século, o Sr. Antônio Ribeiro Limite, foi testemunha ocular de vários acontecimentos no País que envolveram consequentemente nosso Município, relacionamos alguns:  A Presença da Coluna Prestes em Campo Formoso em 1926, Lampião a partir de 1929, cruza por diversas oportunidades nosso território, A revolução de 1930, que teve desdobramento Nacional e local, A grande seca de 1932 que dizimou centenas de vidas nos sertões Nordestinos.

Atos de caráter interno foram dezenas que o mesmo presenciou em sua longa existência, citamos apenas a “Elevação da Vila de Campo Formoso, a categoria de cidade em 1939”.

Socio fundador da Sociedade São Vicente de Paula, (fundada em 13 de junho de 1936) em dia anterior a seu falecimento esteve em sua sede, pagou mensalidades pelo período de um ano. No local, estava sendo celebrada missa, Sr. Antônio limite, assistiu, comungou, e no outro dia 31 de agosto de 2018, faleceu aos 107 anos de idade.

Foto: arquivo pessoal do historiador José Carlos Martins

“Escolhe, pois, a vida para que vivas tú e a tua descendência, pois disso depende a tua longevidade”. Deut. 30:19 e 20.

Foto: arquivo pessoal do historiador José Carlos Martins

 

Por: Historiador José Carlos Martins

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

treze − 2 =