A história do futebol em Campo Formoso, se inicia lá na década de 30 quando os jovens:  José Ribeiro da Silva (Zé Gordo), Severiano Cardoso, Leônidas Freitas Maia, Nouzinho do João Roberto, Adjacy Guanais, João Augusto da Silva, Lindemar Ferreira Lima e outros, limparam um terreno onde fica hoje o Colégio Augusto Galvão.  Em 1939 surgiu um campo maior, no local conhecido por “Alto Cheiroso” em frente ao cemitério velho e era conhecido por campo dos padres, por ter havido a participação da Paroquia de Santo Antônio nos trabalhos de aplanar o terreno. O Pároco da época chamava-se Frei Inocêncio Scheleiermacher, que dirigiu nossa paroquia de 1937 a 1940.

Em 1950, em terreno doado pela Linha Férrea Leste Brasileiro, tivemos o Estádio Lauro de Freitas (Diretor Geral da Leste), popularmente denominado de “campo da estação” por ficar bem próximo à estrada de ferro.

Era um sonho dos desportistas locais, termos em nossa cidade um Estádio decente, em que se pudesse realizar anualmente o campeonato municipal local, torneios de futebol, participar do campeonato intermunicipal e outros eventos, de forma segura e organizada.

Pois bem, em 28 de julho de 1988, numa quinta-feira de tarde de sol auspicioso com sua capacidade de público, cerca de cinco mil pessoas presentes, o Prefeito de então, JOSE JOAQUIM DE SANTANA, (1983 a 1988), acompanhado de secretários, assessores, vereadores e correligionários, descerrou a placa que dava por inaugurado o frondoso estádio Municipal.  Fogos pipocaram de todos os lados, formando denso fumaceiro tangido pela brisa amena que sopra daquele vale outrora habitado por nossos gentios tapuias.  Palmas, gritos, vivas; tínhamos enfim concretizado o sonho de mais de 50 anos de espera.

 Em 1988, nossos craques do passado já não estavam mais entre nós, já tinham cumprido sua missão aqui na terra, já tinham alegrado por inúmeras vezes, nossas tardes saudosas de domingo. Vamos lembrar alguns:   Antônio Guimaraes, Valdivino, Leônidas Maia, Memé, Padeiro, Lindemar, Dilton Liborio, Absae, Buião, Limbo, Badú da Maria do Norte; este foi considerado o melhor jogador de futebol de Campo Formoso, até o ano de sua morte. O mesmo faleceu no ano de 1959, em pleno campo da estação em consequência de um enfarto quando atuava numa partida de futebol entre as seleções de Campo Formoso e Miguel Calmon. Badú, era o pai de saudoso Eduardinho, que foi também renomado atleta de futebol.

Lembramos que Campo Formoso, em outras décadas   sempre teve uma linhagem de bons atletas, entretanto pelo o objetivo da matéria citamos alguns daqueles que atuaram até o final dos anos cinquenta.

Como dizia o radialista e locutor esportivo Fiori Gigilioti. “Abre-se as cortinas torcida Brasileira. Nesta tarde festiva inaugural entraram em campo a seleção de Campo Formoso e o Fluminense de Feira de Santana, sendo a equipe visitante vencedora do confronto pelo o placar de 1 a 0.

A seleção Campoformosense, nesta oportunidade (28.07.1988), era composta dos seguintes atletas:  Simonal, Bertinho, Gilson, Zé Menezes, Beto, Dê, Alberto, Bolacha, Régis, Carlinhos Pequeno, Biscoito, Bosco, Jaelson, Claudinho, Lano e Carlinhos Presepada.

A construção deste Estádio, já se completa 33 anos, custou quantia vultosa aos cofres Municipais; que nossos gestores sempre que necessário invistam no mesmo, pois é uma belíssima praça esportiva de lazer para todos.  Zelai que é nosso!

“Parabéns Campo Formoso, 141 anos de Emancipação Política Administrativa, Município de rico potencial natural e cultural, pelo labor do nosso povo hoje destaca-se como uma das principais cidades do interior da Bahia. Vamos pedir a Deus, fé, saúde, sabedoria, humildade para continuarmos rumo ao progresso”.

Foto: arquivo pessoal do historiador José Carlos

 Por: Historiador José Carlos Martins

 

Compartilhar :

Comentar com Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui