Foto: extraída da internet

Uma tradição no São João de municípios como Senhor do Bonfim, Cruz das Almas e Cachoeira, a Guerra de Espadas será o tema de uma audiência pública nesta quinta-feira (4), a partir das 14h, na Assembleia Legislativa da Bahia. Entre os objetivos do evento, está o debate sobre a sua regulamentação e a importância dessa cultura para as cidades envolvidas.

Proponente da audiência “Criminalização da Cultura da Espada no Estado da Bahia”, o deputado estadual Jacó (PT) estará presente na mesa de abertura ao lado do antropólogo Rodrigo Gomes Wanderley, dos professores Jânio Roque e Filipe Cezarinho, do presidente da Associação dos Espadeiros de Senhor do Bonfim, Darlan Valverde, e da espadeira Rosângela Silva.

Também convidados representantes do MP, PM, SESAB, juristas, o prefeito de Senhor do Bonfim, Laércio Júnior, e o vereador Pedro Melo, de Cruz das Almas.

No requerimento enviado à Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviços Públicos da Alba para a realização da audiência, Jacó explica que a discussão sobre a criminalização da cultura da espada é um tema relevante em virtude de ser esta uma atividade desenvolvida durante muito tempo e vir sendo tratada de forma judicializada, sem a devida escuta dos setores envolvidos.

“Nossa tradição não é crime e precisa ser preservada”, defende o espadeiro Darlan Valverde. Ele espera que a audiência avance no sentido de esclarecer sociedade e poder público de que a espada manipulada nas festas juninas não é material explosivo, mas sim artefato pirotécnico. “Queremos padronizar e regulamentar, como aconteceu com as vaquejadas”, completa.

A audiência “Criminalização da Cultura da Espada no Estado da Bahia” será realizada às 14h desta quinta-feira (4), de maneira híbrida. Interessados em participar poderão acessar a sala pelo aplicativo Zoom. Haverá também transmissão pela rede de canais da TV Alba.

Acesso Político

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

18 − 9 =