Cerca de 400 delegados da Polícia Civil da Bahia entregaram seus cargos comissionados nesta quarta-feira (18). O anúncio foi realizado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado (Adbep), que emitiu uma nota detalhando a situação.

No comunicado, a entidade diz que a entrega dos cargos ocorreu por causa do tratamento que a categoria vem recebendo do governador Rui Costa (PT), “que com a sua absoluta intransigência se fecha para o diálogo aberto e franco com os servidores policiais civis deste estado”. De acordo com a representação sindical, também se comprometem a não assumir os que ficarem vagos.

Segundo a nota, todas as tratativas feitas com os interlocutores do governo estadual não foram suficientes para que os representantes admitissem a gravidade da situação, “o que deixa cristalino o fato de que a segurança pública em nosso estado nunca foi preocupação do governador Rui Costa”.

“Vivemos tempos sombrios, de autoritarismo, com este malversado governo, mas a ADPEB, durante todo o período de negociação, respeitou as linhas impostas, a fim de contribuir com o delineamento de um campo democrático que se fundamenta no diálogo, no entendimento e na compreensão. Assim, esta entidade de classe atuou incessantemente nos bastidores visando preservar os interesses dos delegados, apelando ao bom senso e à reponsabilidade de quem detém o poder de decisão, porém nada e nem ninguém conseguiu fazer Rui Costa sair do seu pedestal para ouvir os servidores”, afirmou o sindicato.

A Adpeb disse também que a entrega dos cargos já era uma decisão que estava no radar dos delegados, mas foi adiada por diversas vezes na expectativa de que as reivindicações da categoria fossem atendidas. A entidade seguiu criticando o governo Rui e suas políticas de segurança pública ao afirmar que a Bahia vive “a pior gestão da segurança pública nos últimos 20 anos” e que o chefe do executivo estadual trata os servidores com “desprezo”.

“Seu desprezo pelos servidores, aliado à sua falta de planejamento para a instituição, emperrou o combate à criminalidade organizada, em que pese toda a dedicação dos delegados e delegadas de polícia que enfrentam jornadas extenuantes de trabalho. Em troca, sofremos inúmeras reformas legislativas que aniquilaram os direitos de todos os servidores, o que nos conduziu à posição de pior remuneração da categoria em todo o país e nos obrigou a conviver em unidades policiais insalubres”, prossegue.

Ainda no comunicado, a entidade sindical diz que Rui não cumpre ordens judicias transitadas em julgado, “assolapando direitos já restabelecidos aos servidores em atividade e aposentados”.

“Os delegados de polícia do Estado da Bahia se colocam do lado da sociedade e deixam claro que as consequências deste ato serão contabilizadas no já desastroso resultado da política de segurança pública dos últimos oito anos, e que a decisão em aguardar esta data para a entrega dos cargos visou resguardar os serviços prestados pelos órgãos centrais de combate à criminalidade no estado, em face da adesão quase integral de todos os cargos de gestão da Polícia Civil da Bahia”, completou a Adpeb.

O BNews procurou a Polícia Civil para comentar o caso e aguarda retorno. Já a Secretaria de Segurança Pública (SSP) disse apenas que “todos os serviços à população continuarão sendo prestados normalmente”.

 

Bocão News

Compartilhar :

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui